Translate

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Presidente italiano Giorgio Napolitano renuncia

Giorgio Napolitano, de 89 anos, havia sido reeleito em 2013.
Veterano militante antifascista desejava se afastar para uma vida tranquila.


France Presse AFP

O presidente italiano, Giorgio Napolitano, renunciou nesta quarta-feira (14) ao cargo. Napolitano, de 89 anos, anunciou no mês passado que se retiraria antes da expiração de seu mandato, em 2020.

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, em discurso nesta segunda-feira (22) (Foto: Tony Gentile/Reuters)
O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, em discurso nesta segunda-feira (22) (Foto: Tony Gentile/Reuters)
Este ex-comunista foi reeleito em 2013 por falta de um acordo no Parlamento sobre um novo candidato.

O veterano militante antifascista, amigo do poeta chileno Pablo Neruda quando se exilou na ilha de Capri e em Nápoles, desejava se afastar para uma vida tranquila.

A renúncia abre um delicado processo político para a nomeação de um novo chefe de Estado. Rumores sobre a renúncia do presidente já circulavam desde o fim de 2014. Ele aceitou relutantemente um segundo mandato em 2013, em um momento de crise política no país.

Depois da eleição, ele trouxe alguma estabilidade política para a Itália ao indicar Enrico Letta, do Partido Democrático, de centro-esquerda, para formar um governo de ampla coalizão. Mas Letta renunciou em fevereiro, depois de perder batalha pela liderança de seu partido para o atual premiê, Matteo Renzi.

Renzi, de 40 anos, disse que deseja fechar um acordo rapidamente tanto com seu partido como com a oposição para escolher um sucessor. Mas a votação parlamentar secreta é imprevisível, e alguns analistas dizem que Renzi pode pressionar por uma nova eleição geral se não houver apoio amplo em torno de um nome para o próximo chefe de Estado.

Napolitano confidenciou a amigos que sofre de uma série de problemas relacionados à idade que tornam difícil para ele continuar no cargo, segundo o jornal “Corriere della Sera”.

Já o "La Repubblica” citou Emanuele Macaluso, um político aposentado e amigo próximo de Napolitano, para dizer que a decisão de renunciar "já está definida" e que o país não pode pedir para Napolitano "fazer mais sacrifícios".

________________________
Reprodução de:
AFP