Translate

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Salário mínimo será de R$ 880 em 2016

Presidente Dilma Rousseff assinou decreto com o novo valor nesta terça-feira


O salário mínimo terá um aumento de 11,6% e será de R$ 880 a partir de 1º de janeiro de 2016. O decreto com o novo valor já foi assinado pela presidente da República, Dilma Rousseff, e será publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quarta-feira.

Presidente Dilma Rousseff assinou decreto com o novo valor nesta terça-feira | Foto: Roberto Stuckert Filho /PR / CP Memória
Presidente Dilma Rousseff assinou decreto com o novo valor nesta terça-feira | Foto: Roberto Stuckert Filho /PR / CP Memória
Em nota, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República diz que, com o novo valor, a presidente Dilma Rousseff "dá continuidade à sua política de valorização do salário mínimo" e que o reajuste terá impacto direto sobre cerca de 40 milhões de trabalhadores e aposentados.

Atualmente, o salário mínimo é de R$ 788. O porcentual do aumento concedido pelo governo está um pouco acima da inflação, que em 2015 já acumula alta de 10,71%.  

Confira a nota na íntegra:

Decreto assinado nesta terça-feira pela presidenta da República, Dilma Rousseff, fixa o salário mínimo que entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2016: R$ 880,00 (oitocentos e oitenta reais). O decreto será publicado no Diário Oficial da União de quarta-feira.

Com o decreto assinado hoje pela presidenta Dilma Rousseff, o governo federal dá continuidade à sua política de valorização do salário mínimo, com impacto direto sobre cerca de 40 milhões de trabalhadores e aposentados, que atualmente recebem o piso nacional.

O ministro Miguel Rossetto falará à imprensa às 15h na sede do Ministério do Trabalho & Previdência Social.

Secretaria de Imprensa
Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

_________________________
Reprodução de:
http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/Economia/2015/12/575693/Salario-minimo-passa-a-valer-R-880-a-partir-de-1-de-janeiro

domingo, 20 de dezembro de 2015

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Concurso do Corpo de Bombeiros de MG

Bombeiros/MG: saiu edital de concurso para 530 vagas

  • Concurso do Corpo de Bombeiros do Estado de Minas Gerais tem o objetivo de preencher 530 postos, sendo 500 no Curso de Formação de Soldados e 30 no Quadro de Praças Especialistas


No Estado de Minas Gerais, o Corpo de Bombeiros realizará concurso público para preencher 530 oportunidades, sendo 500 no Curso de Formação de Soldados (CFSd BM) para o Quadro de Praças Combatentes (QP-BM) e 30 no Quadro de Praças Especialistas (QPE-BM). Das ofertas do QP-BM, 450 são para homens e 50 para mulheres.

imagens google

Não haverá reserva de vagas para os portadores de necessidades especiais, tendo em vista a natureza do cargo e a especificidade do trabalho.

Para o QPE-BM, as ofertas estão distribuídas entre motomecanização – mecânico motor à diesel (11), mecânico motor à gasolina/álcool (2) e eletricista de autos (2); e comunicações e informática – técnico em informática/rede de computadores (8), técnico em eletrônica (2), técnico em eletrotécnica (2) e técnico em telecomunicações (3).

O ingresso do candidato aprovado dentro das vagas estabelecidas, e convocado, será realizado na graduação de soldado de 2ª classe, com vencimento inicial de R$ 3.506,40.

Para o cargo de soldado de 1ª classe BM, a remuneração básica atual é de R$ 4.098,42.
imagens google
bombeiro militar faz jus à remuneração, abono fardamento e assistências médico-hospitalar, psicológica e odontológica.

Mais informações e inscrições link abaixo:
As inscrições deverão ser realizadas entre os dias 4 de janeiro e 26 de fevereiro de 2016 no endereço eletrônico da Fundep (www.gestaodeconcursos.com.br), organizadora da seleção.
__________________________

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Menino de sete anos cuida de seu pai paralisado após mãe abandoná-los

Yahoo! Brasil! Super Incrível

Ou Tongming, um trabalhador de 37 anos de idade, da aldeia Wangpu, na província de Guizhou, localizada na região sudoeste da China, despencou do segundo andar de uma construção em 2013. O resultado do acidente foi uma lesão medular que acabou o paralisando da cintura para baixo.
(Reprodução/Daily Mail)
(Reprodução/Daily Mail)
A família vive em condições de pobreza e gastou todas as economias que possuía em tratamentos médicos para o pai. Mesmo nesta situação, a esposa de Tongming decidiu fugir com a filha mais nova, de apenas 3 anos de idade. Desde então, nunca mais se ouviu falar da mulher. Isso fez com que Ou Yanglin fosse o único familiar próximo ao pai paraplégico.
Há mais de um ano, Yanglin acorda todas as manhãs às 6h para dar comida ao pai antes de ir para a escola, aprendeu sozinho a cozinhar arroz e fazer compras no mercado local. Na hora do almoço ele corre de volta para casa para alimentar seu pai novamente.
(Reprodução/Daily Mail)
(Reprodução/Daily Mail)

Tongming confessou que ele estava à beira do suicídio por tanto pensar no fardo que colocou em cima do filho devido à debilidade. Porém, ele achou melhor não deixá-lo sozinho.
"Eu não estava tão determinado a ponto de deixar meu garoto órfão", disse o homem em entrevista ao Shanghaiist.
(Reprodução/Daily Mail)
Yanglin, que só agora começou a frequentar a primeira série, vasculha as ruas em seu caminho depois da aula para coletar algumas sucatas a fim de revendê-las e fazer algum dinheiro. Em média ele consegue recolher material suficiente para trocar por uma quantia de 20 yuans por dia. Fora isso, os dois sobrevivem graças a uma pensão destinada a pessoas em condições carentes, com objetivo de evitar pedidos de esmola pelas ruas.
As circunstâncias chocantes da fuga da mãe são conhecidas pelos vizinhos da família, que têm se esforçado para oferecer ajuda sempre que possível dentro dos que eles conseguem, já que são igualmente pobres.
'Meu pai precisa de remédio, mas eu não tenho dinheiro ", disse Yanglin à mídia local.
Depois de voltar para casa a criança ainda ajuda a virar o seu pai na cama para que um remédio possa ser aplicado na parte de trás de seu corpo, com objetivo de evitar a formação de feridas devido aos longos períodos deitado.
Yanglin disse que mais do que qualquer outra coisa ele que ele espera "crescer rapidamente", a fim de conseguir ganhar dinheiro para curar as aflições de seu pai.
A história da família se espalhou e pessoas bondosas que se comoveram com as condições de vida do pai criaram um fundo de caridade em seu nome para oferecer ajuda financeira.

_______________
Reprodução de:
Super Incrível 



terça-feira, 27 de outubro de 2015

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

AS ‘PEDALADAS FISCAIS’ DO GOVERNO DILMA

AS ‘PEDALADAS FISCAIS’ DO GOVERNO DILMA

http://infograficos.estadao.com.br/public/economia/pedaladas-fiscais/
A "pedalada fiscal" foi o nome dado à prática do Tesouro Nacional de atrasar de forma proposital o repasse de dinheiro para bancos (públicos e também privados) e autarquias, como o INSS. O objetivo do Tesouro e do Ministério da Fazenda era melhorar artificialmente as contas federais. Ao deixar de transferir o dinheiro, o governo apresentava todos os meses despesas menores do que elas deveriam ser na prática e, assim, ludibriava o mercado financeiro e especialistas em contas públicas.
As "pedaladas" foram reveladas pelo jornal O Estado de S. Paulo e Broadcast, o serviço de tempo real da Agência Estado, no primeiro semestre de 2014, mas já tinham começado a ocorrer desde 2013. Agora, em 2015, a nova equipe econômica admite que as "pedaladas" existiram e que elas começaram a ser corrigidas. No entanto, a discussão já deixou o campo econômico e foi para o campo político e judicial, nos quais as pedaladas são vistas como um possível crime de responsabilidade fiscal.
________________
Reprodução de:
Estadão http://infograficos.estadao.com.br/public/economia/pedaladas-fiscais/linha-tempo

Desconstruindo as “pedaladas fiscais”

18 de outubro de 2015 - 14h17 

Julio Adelaide: Desconstruindo as “pedaladas fiscais”

O atraso de pagamentos e o “empréstimo” dos bancos ao Tesouro são fatos corriqueiros com os quais o TCU nunca se preocupou – ao menos nos últimos 30 anos – e que têm origem em um problema de metodologia fiscal.

Por Julio Adelaide, no Brasil Debate


O que significa mesmo o termo “pedaladas fiscais”? Até então vinha sendo utilizado “contabilidade criativa” pela mídia, com o intuito de criticar a política fiscal do governo federal. De “contabilidade criativa” evoluiu-se para “pedaladas fiscais”, configurando um rótulo mais contundente para designar uma manipulação da contabilidade fiscal.

Sede do TCU
Sede TCU

O próprio termo manipulação é subjetivo, já que pode simplesmente indicar uma tentativa de induzir ou modificar a aparência de dados e informações até o extremo de sugerir fraude ou falsificação dos dados.

Ainda nos tempos da “contabilidade criativa”, a mídia e a patrulha ideológica do mercado financeiro criticaram, por exemplo, a venda, pelo Tesouro Nacional, das ações da Petrobrás do Fundo Soberano para o BNDES, que aumentou o superávit primário do governo federal. Claro, não houve grito quando, dois anos atrás, o TN comprou as mesmas ações para o FS, reduzindo o superávit primário.

Da mesma forma, houve gritaria quando, quatro anos atrás, o TN capitalizou a Petrobrás com reservas de petróleo do pré-sal: o problema é que parte das reservas foi vendida, aumentando assim o resultado primário. Todas essas manipulações foram catalogadas no reino da “contabilidade criativa”, que se inseria num conjunto de críticas sistemáticas à política fiscal.

Entretanto, do segundo semestre de 2014 para os tempos de agora, esse termo foi substituído por “pedaladas fiscais”, procurando indicar não apenas manipulação, mas ilegalidade da execução fiscal. Haveria dois tipos de ilegalidades. Um primeiro diria respeito ao atraso de pagamentos de alguns benefícios, subsídios e subvenções concedidos pelo governo, cujos agentes repassadores seriam o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o BNDES.

Paralelamente, uma segunda ilegalidade seria o adiantamento, por parte dessas referidas instituições financeiras, dos referidos benefícios, subsídios e subvenções, configurando um financiamento ao TN, o que contrariaria a Lei de Responsabilidade Fiscal. Na verdade, para evitar uma eventual ilegalidade, o atraso de pagamentos, ter-se-ia recorrido a um financiamento, configurando por este último aspecto o caráter ilegal e indevido das operações.

Uma eventual ilegalidade de Restos a Pagar
Quando lançada no final dos anos 90 do século passado, a LFR tentou estabelecer limites para a magnitude dos “restos a pagar” deixados de um mandatário para seu sucessor, em qualquer um dos níveis de governo. Sua intenção original era a de “zerar” os restos a pagar deixados de um governante para o outro, o que se tornou, desde logo, impraticável.

Atualmente, com base em pareceres de juristas, aceitam-se restos a pagar, desde que em valor menor do que o governante encontrou.

Mas há coisas mais graves, como despesas realizadas sem orçamento empenhado ou previsão orçamentária, o que contraria regra básica e anterior à própria LRF (lei 4320 de 1964).

Assim, atraso de pagamentos, ainda mais dentro das regras e reportando-se a um mesmo governante, é fato corriqueiro, com o qual o TCU nunca se preocupou anteriormente – pelo menos nos últimos 30 anos – manifestando-se como um factoide, com claros objetivos políticos, no sentido de rejeitar as contas do atual governo.

Os responsáveis pelo factoide, sentindo que a versão do atraso de pagamentos é muito fraca, desprovida de uma verdadeira base real, evoluíram para a segunda versão das pedaladas, a dos Bancos financiarem o TN.

Para começar: qual é mesmo a motivação original da LRF ao proibir que bancos estatais, de qualquer nível de governo, financiem seu ente federativo? Seguramente, a origem está na crise fiscal dos anos 80, que transbordou do nível federal para estados e municípios. Em alguns casos, os bancos estaduais foram utilizados para o financiamento de seus respectivos Tesouros. O caso mais grave foi o do Estado de São Paulo, justamente o ente mais rico da federação, que utilizou (e acabou quebrando) o Banespa para financiar o Tesouro paulista.

No nosso caso, o TN, como autoridade fiscal que é, detém a capacidade de emitir moeda – dívida- a qualquer momento, sem intermediários. Não é por acaso que o juro soberano, pago pelo TN ao mercado, é sempre menor que o custo de captação de seus Bancos controlados (BB, Caixa e BNDES, entre outros). E o principal: o TN é credor líquido, em geral em volumes robustos, dos seus Bancos, o que dirime definitivamente qualquer dúvida de “quem financia quem”.

O BNDES, por exemplo, deve liquidamente mais de R$500 bilhões para o TN, o que mostra de forma inequívoca que não houve (e não há), na forma legal e no seu espírito, contrariedade à LRF.

Qual é, então, exatamente o problema? Existe de fato um problema ou ele é tão e somente uma questiúncula – embora paraguaia, o que a tornaria séria – com o objetivo de acuar ou mesmo inviabilizar o governo?

O que vamos sugerir, a seguir, é que de fato existe uma questiúncula paraguaia, a qual tem, sim, por trás, um problema importante da nossa metodologia fiscal, que vem sendo solenemente ignorado no debate atual.

Inconsistências e incoerências
É emblemático que a LRF, quando editada em 2000, previsse no seu artigo n. 30, parágrafo § 1°, inciso IV, que caberia ao Senado Federal definir a metodologia do resultado primário e nominal, reconhecendo, implicitamente, o caráter provisório da metodologia improvisada baseada no Crédito Líquido para o setor Público (CLSP) – o Banco Central veio aos poucos desenvolvendo e consolidando a estatística referente ao CLSP para o conjunto dos entes federativos. E é sintomático que, 15 anos depois, essa metodologia ainda não tenha sido criada!

Por basear-se desde sempre numa metodologia improvisada, as estatísticas fiscais do Brasil são incompletas, não tendo como referência a execução orçamentária da União, Estados, Municípios e Empresas Estatais.

Para a gestão fiscal, essa metodologia é um instrumento importante e insubstituível de acompanhamento conjuntural, dada a sua disponibilidade temporal (mensal) propiciado pelo fato de basear-se em acompanhamento de estoques monetários e de dívida financeira. Porém, como estatística das contas fiscais tem graves deficiências.

Uma primeira é que, ao ser adaptada para utilização como estatística fiscal, passa a misturar Competência com Caixa, ficando o primeiro para as receitas e despesas financeiras (consideradas acima da linha e lançadas no resultado nominal) e o segundo para as demais receitas e despesas pagas (consideradas abaixo da linha e lançadas no resultado primário).

Essa incongruência pode gerar até mesmo situações paradoxais e bizarras, como aquelas que envolvem as relações do TN com os Bancos Federais. Uma segunda deficiência é que, ao calcular por diferenças o gasto primário, ela deixa de lado as despesas não pagas, como se elas fossem irrelevantes para a análise do resultado fiscal.

Uma terceira deficiência é que, como mecanismo de indução à boa gestão fiscal, ela cria, por exemplo, o viés de que a despesa boa é despesa não paga; e quando aplicada às empresas estatais, apresenta um grave viés anti-investimento (para as não-financeiras) e anti-capitalização (para os bancos estatais) induzindo à sua destruição no longo prazo.

Uma quarta deficiência é que se optou por considerar, no contexto da metodologia, o resultado primário como a meta fiscal, deturpando esse conceito enquanto importante submeta e instrumento de gestão fiscal. Mais particularmente, a possibilidade de arbitrar, subjetivamente, o lançamento de despesas e receitas acima ou abaixo da linha ajuda a deturpar o conceito, o que recomendaria a sua substituição pelo resultado nominal, seguindo o padrão internacional predominante.

Uma quinta e talvez mais importante deficiência: a estatística, com base nessa metodologia, não é fiscalizável, já que não se baseia na execução orçamentária, apenas tangenciando-a. No caso da União, são consideradas apenas as despesas (pagas) e receitas (recebidas); todo o fluxo financeiro considerado acima da linha está fora do orçamento e, portanto, da execução orçamentária.

Como corolário, uma sexta deficiência é que as metas fiscais, propostas em todas as LDOs, são metas fantasia, já que não fiscalizáveis, estando dependendo, para valerem em execuções orçamentárias futuras, da regulamentação, pelo Senado Federal, da metodologia do resultado fiscal, prevista no artigo 30 da LFR.

Como corolário final, deve-se concluir que o TCU não tem alçada para julgar uma eventual manipulação do resultado fiscal por parte do Executivo; para realizar tal tarefa, ele deveria: a) reconhecer tal impossibilidade junto ao órgão ao qual é subordinado, o Congresso Nacional; b) solicitar que as chamadas receitas e despesas acima da linha passem a integrar o orçamento e a execução orçamentária e c) solicitar ao Senado que regulamente a metodologia do resultado fiscal primário e nominal, conforme previsto na LRF.

Dada a virtual missão que se atribuiu, de julgar e rejeitar (por manipulação) as contas do governo de 2014, o TCU tem tido um comportamento errático, burlando em muito o seu papel legal e constitucional.

Como ele já vem exorbitando claramente em suas funções constitucionais, investigando e fiscalizando eventos que estão fora da alçada que o Congresso atribuiu-lhe, o TCU veio, através do relator das contas de 2014, Sr. Augusto Nardes, dar ordens ao Congresso, solicitando que esse analise agora as contas de 2014, deixando para depois as contas dos 13 anos anteriores!

E a razão principal para essa falta grosseira não é questão de timing para a conclusão da missão que o TCU se atribuiu, mas sim que, ao evitar que as contas anteriores sejam analisadas agora, impede-se a comparação dos critérios utilizados nas contas de 2014 e todas as demais. Vai saltar aos olhos a aberração legal e jurídica dos procedimentos de 2014, ficando claro o intuito de utilização do TCU para inconfessáveis fins políticos.

Esse texto é um resumo do artigo original, disponível em Sobre Pedaladas fiscais.

______________________
Reprodução de:
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=271605

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Colegas doam 350 dias de folgas para pai cuidar da filha com câncer



As piores notícias possíveis podem ser acompanhadas de surpresas positivas que nós nem imaginamos. Foi o que aconteceu com um homem que vive em Aumale, na França.

Reprodução
Reprodução
Casado com Marine, Jonathan Dupré vivia uma vida normal até ser abalado pela notícia de que Naëlle, sua filha de quatro anos, tinha câncer. A doença atacou o rim da menina e agiu de forma bastante rápida.


Só não mais rápida do que os colegas de trabalho de Jonathan. Operário em uma fábrica de vidro, ele ganhou 350 dias de folgas como presente das pessoas que dividem o ambiente de trabalho com ele. Desde 2014, uma lei francesa permite esse tipo de doação entre trabalhadores locais.



Os funcionários se uniram e cederam dias de folgas e férias que possuíam para que Jonathan pudesse ficar mais perto da filha. Após ser operada, ela passou por um longo período de internação caseira, na qual precisava de todos os cuidados.



Ao saber da situação da filha, Jonathan se desesperou. Não poderia ficar em casa pois tinha 
“queimado” suas folgas nas sessões de quimioterapia e nas idas a exames. Foi então que os colegas resolveram fazer a surpresa para ele.



“Soube pelo correio do que eles tinham preparado para mim e fiquei muito emocionado. Foi um peso enorme que acabaram tirando de cima de mim e da minha mulher, pois aí não tivemos problemas para realizar tudo o que precisamos”, afirmou Dupré.



Após todo o carinho que o pai conseguiu dar para a filha nesse período, a pequena Naëlle se recupera bem. O câncer já está em regressão e ela, inclusive, começou a sair de casa voltando para escola. O pai deve voltar a trabalhar em breve e, então, poderá finalmente agradecer seus colegas de trabalho. Ou melhor, seus amigos de trabalho.


______________________________
Reprodução de Yahoo!Brasil! Super Incrível

domingo, 27 de setembro de 2015

Parabéns GOOGLE 17 anos

Tá chegando à maior idade, hein! Mesmo sendo chamado de pai google, tio google, prof. google e etc. por muitos, ainda não fez 18 anos! Mas rapaz, você já auxiliou a milhões de brasileiros nesta sua existência por aqui, principalmente em pesquisas de conhecimentos...

Parabéns GOOGLE!

Todos, quando têm qualquer dúvida sobre qualquer assunto, recorrem a ti.

17º Aniversário do Google

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Sem os dois braços, filho usa a boca para alimentar sua mãe de 91 anos

Por  | Super Incrível – sex, 4 de set de 2015


Sem dúvidas uma das cenas mais comoventes que o mundo já viu. E, também, uma das maiores provas de amor incondicional que podem ser dadas. Essas são as sensações possíveis diante da imagem que vem de Tongxin, cidade interiorana da China.


Reprodução
Reprodução

Lá vive Chen Xingyin, um agricultou que hoje tem 48 anos de idade. Aos sete, por conta de um acidente, ele perdeu seus dois braços de uma vez. A tragédia, porém, não o fez desistir de nada. Muito menos de ajudar sua mãe, Yang Sifang, hoje com 91 anos.


Durante toda a vida ele superou as dificuldades que a deficiência lhe impunha para ajudar em casa nas tarefas de agricultor. Após 41 anos do acidente, no entanto, foi flagrado dando comida na boca de sua mãe, que hoje está impossibilitada até de comer por conta da idade.

Reprodução
Reprodução

“Posso não ter braços para trabalhar como as outras pessoas que me cercam e estão no mundo, mas tenho meus pés. Tendo meus pés, posso trabalhar como qualquer um e, principalmente, dar todo suporte para minha mãe, que dedicou sua vida a cuidar de mim e de nossa família”, afirma Chen.

Chen começou a trabalhar utilizando apenas os pés aos 20 anos. Carrega cestos, colhe laranjas e trabalha como todos os outros agricultores da região. A decisão foi tomada após a morte de seu pai e a necessidade de alguém para substituí-lo antes que a família começasse a perder o pouco dinheiro que ganhava.

Os vizinhos, à época, sugeriram que Chen usasse sua condição para pedir esmolas ao invés de trabalhar. Ele, porém, preferiu ir pelo caminho mais difícil e levou anos para se adaptar totalmente à rotina de trabalho extremamente pesado que tem no campo. Agora mais velho, divide o tempo entre a lavoura e a mãe, que precisa de todos os cuidados após perder quase toda a energia para se movimentar por conta de uma doença.

_________________
Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/blogs/super-incr%C3%ADvel/sem-os-dois-bra%C3%A7os--filho-usa-a-boca-para-alimentar-sua-m%C3%A3e-de-91-anos-103637161.html

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Por que esse buraco gigantesco na Rússia é tão especial?

Por  | Super Incrível – seg, 13 de jul de 2015

Um buraco gigante aberto no chão chamaria a atenção de muita gente, mas, quando ele surge na Rússia, o caso é bem mais chamativo. E este da imagem foi cavado em Iacútia, território russo que é escassamente ocupado por conta de sua localização polar.
Reprodução
Reprodução

Mas se ele é feito por seres humanos, por que ele seria especial? Bem, é desse que buraco que saem praticamente um terço dos diamantes de todo o mundo. Sim, de todo o mundo. Nada menos do que 27% da produção mundial de brilhantes ocorre ali.

Atualmente sob posse da empresa russa Alrosa, a mina é palco também do surgimento de uma das pedras mais estranhas já vistas em escavações. Trata-se de uma só pedra com mais de 30 mil pequenos diamantes nela. Estudada por especialistas, ela mostrou uma concentração um milhão de vezes maior do que o normal.

No “buraco russo” são estimadas, atualmente, nada menos do que 225,8 milhões de quilates de diamante, com capacidade de produção anual de 10,4 milhões de quilates. Ou seja, é “só” um buraco, especial pelo número de pessoas que ele já fez ricas. No fim das contas, a Rússia — sempre ela — tem um poço de… diamantes!

___________________

Por  | Super Incrível – seg, 13 de jul de 2015

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Homem faz a diferença em sua comunidade cortando cabelo de mendigos

Por  | Super Incrível – seg, 13 de jul de 2015

Um homem está mudando a vida da população de mendigos de Melbourne, na Austrália. Cabeleireiro de formação, Nasir Sobhani está fazendo trabalho voluntário e corta cabelos de moradores de ruas sem condições de pagar por um corte.

“Um morador de rua não tem do restante das pessoas o respeito e atenção que eles merecem. O que eu tento fazer é dar uma ajuda para que eles tenham mais chance de interagir com a sociedade”, diz Nasir.

E o próprio Nasir sabe o quanto é importante para as pessoas conseguirem uma segunda chance. Ex-usuário de drogas, ele vive cada dia de uma vez e sabe que as pessoas merecem ter mais chances de começar de novo.

Reprodução
Reprodução

Agora, aos 26 anos, ele além de ajudar as pessoas que moram nas ruas acaba se ajudando também, já que se mantém ocupado durante seu tratamento. Segundo Nasir, os cortes acontecem em diversos locais da cidade e ele costuma reservar um dia por semana para ajudar os mendigos.

_______________
Reprodução de:
Redação Yahoo! Brasil Super Incrível

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Após 75 anos juntos, marido e mulher morrem abraçados em hospital


Uma história de amor verdadeira, dessas muito difíceis de se encontrar. Alexander e Jeannette Toczkos conheceram com apenas oito anos e, desde então, são inseparáveis. Tão grudados que, 75 anos depois do dia do casamento, morreram juntos e abraçados.

Após mais de sete décadas felizes e juntos, os dois começaram a ver as coisas irem mal quando Alexander sofreu um acidente e quebrou seu quadril, ficando preso à cama. Quase que imediatamente, Jeannette também passou a ter uma piora na saúde e teve ser internada.

Reprodução

Reprodução


Vendo o amor incondicional dos dois, o hospital em que ficaram internados fez questão de disponibilizar uma cama especial para que eles ficassem juntos durante a internação. O amor e cumplicidade entre eles era tão grande que, após um tempo internados, eles morreram abraçados e com apenas algumas horas de diferença.

Aimee, filha do casal, resolveu fotografar o momento para eternizar o amor de seus pais. O resultado é uma das fotos mais comoventes já vistas e, claro, uma das maiores provas de que o amor verdadeiro existe e resiste a qualquer coisa.


____________________
Reprodução de:
Por  | Super Incrível – sex, 10 de jul de 2015

segunda-feira, 6 de julho de 2015

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Respostas ao Questionário do Artigo Científico do Curso de Docência no Ensino Superior - A PRÁTICA DE ENSINO DE JESUS

A PRÁTICA DE ENSINO DE JESUS COMO ORIENTADORA À PRÁXIS DOCENTE EM NOSSOS DIAS NAS UNIVERSIDADES DO SUDESTE DO BRASIL, UMA POSSIBILIDADE?                                              


QUESTIONÁRIO

 1. Qual a sua opinião?
Resposta: Acredito, que para ensinar como Ele, primeiro é necessário ter uma experiência com Ele e procurar conhecer mais dEle. Mas acredito ser possível sim.
2. Se sua resposta anterior foi positiva, descreva com suas palavras o que a prática de ensino de Jesus pode contribuir para melhorar o nível do aprendizado dos alunos:
Resposta: Ele se colocava no lugar do outro. Ele via pelos olhos do outro.  Era simples no falar e ensinava, questionando, motivando a pensar. Instigava nos outros a vontade de entender as coisas como Ele entendia. Se os mestres de hoje tiverem a mesma capacidade de cativar, estaremos formando pensadores.
3. Qual a sua opinião sobre a prática atual dos professores?
Resposta: Os professores hoje em dia são em sua maioria formadores de repetidores, não estimulam as pessoas a pensar e sim a reproduzir pensamentos.
4. Você consegue perceber algo importante e/ou relevante na prática de ensino de Jesus? Qual?
Resposta: Especialmente sua clareza no falar. As pessoas hojej em dia, acham que precisam usar discursos bonitos com palavras difíceis, quando na verdade, o mais importante é ser claro e objetivo e estimular os alunos a pensar e ter idéias próprias.
Considerações finais:
Precisamos estimular os nossos alunos a serem pensadores e não propagadores de idéias alheias. É dever dos professores desenvolverem mentes pensantes.
Nome do entrevistado: Renata Moreira – Bacharel em Administração de empresas.

Obrigado pela contribuição!
Jorge da Costa Firmino



A PRÁTICA DE ENSINO DE JESUS COMO ORIENTADORA À PRÁXIS DOCENTE EM NOSSOS DIAS       NAS UNIVERSIDADES DO SUDESTE DO BRASIL, UMA  POSSIBILIDADE?                                              
QUESTIONÁRIO
 1. Qual a sua opinião?
Resposta: Sim. Em meio a um mundo tão conturbado, onde as pessoas só pensam em trabalhar para adquirir coisas, seria muito bom aprender que o “ser” é muito mais importante do que o “ter”.
2. Se sua resposta anterior foi positiva, descreva com suas palavras o que a prática de ensino de Jesus pode contribuir para melhorar o nível do aprendizado dos alunos:
Resposta: Jesus fazia com que as pessoas pensassem, refletissem em suas atitudes. Aprendendo desta forma, refletindo em nossos atos e em como tratar o próximo, seremos seres humanos melhores. Certamente, teremos menos violência.
3. Qual a sua opinião sobre a sua prática atual dos professores?
Resposta: Os professores parecem ter ainda a idéia de trazer pronto e nos fazer aceitar o que está sendo ensinado, outros já tem a idéia de nos fazer raciocinar e ter o nosso próprio entendimento. Mas acredito que nas próximas gerações teremos mais professores parecidos com o Mestre do mestres.
4. Você consegue perceber algo importante e/ou relevante na prática de ensino de Jesus? Qual?
Resposta: Jesus é um ser humano incomparável! Seus ensinos nos fazem refletir e, com efeito, nos mostram que precisamos mudar nossas atitudes, conduzindo-nos a interessarmos pelo que devemos ser. Ter, possuir, não é o que importa nos seus ensinamentos... E isso vai na contramão daquilo que vivemos.
Considerações finais:
Bom seria se todo o mundo vivesse o que Jesus deixou para a humanidade. Uma forma humana, amorosa, alegre, respeitosa que nos torna dignos.

Nome do entrevistado: Nanci Damasceno Silva Firmino
Estudante do Serviço Social, na faculdade FLAMA.

Obrigado pela contribuição!
Jorge da Costa Firmino

A PRÁTICA DE ENSINO DE JESUS COMO ORIENTADORA À PRÁXIS DOCENTE EM NOSSOS DIAS NAS UNIVERSIDADES DO SUDESTE DO BRASIL, UMA POSSIBILIDADE?                                             
QUESTIONÁRIO
 1. Qual a sua opinião?
Resposta: Sim, plenamente uma vez que o discurso de Jesus é totalmente atual.
2. Se sua resposta anterior foi positiva, descreva com suas palavras o que a prática de ensino de Jesus pode contribuir para melhorar o nível do aprendizado dos alunos:
Resposta: O profissional da educação deve agir com amor e solicitude, afeto e paciência. Deve fazer da sala de aula uma extensão do lar, não apenas no aspecto físico, mas, principalmente, no sentido da relação afetiva. Deve procurar ouvir os educandos e aproveitar suas narrativas, suas angústias, seus problemas, seus sonhos, suas alegrias, para de tudo isso extrair lições de vida que enriqueçam a importância do contato pessoal, do estar com outro, do construir sua história com a história dos outros.
3. Você consegue perceber algo importante e/ou relevante na prática de ensino de Jesus? Qual?
Resposta: Sim, Jesus, o maior educador de todos os tempos, por várias vezes estimulou os discípulos para que exercitassem seu crescimento interior na fé e na prática do Evangelho.
Considerações finais:


Nome do entrevistado: Bárbara Yolanda Marques Pereira – Bacharel em Direito – Advogada.

Obrigado pela contribuição!
Jorge da Costa Firmino