Translate

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Tabela do IRPF fechará 2014 com defasagem de 64,4%

SÃO PAULO - A tabela do IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física) fechará 2014 com uma defasagem de 64,4% e, no ano seguinte, por volta de 66%, de acordo com cálculos realizados pelo Sindifisco Nacional (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal).

Os cálculos foram baseados na estimativa de inflação oficial para este e para o próximo, considerando o índice de correção da tabela de 4,5%, prorrogado pela presidente Dilma Rousseff em 30 de abril deste ano.
Com isso, segundo o Sindifisco, quem ganha R$ 3 mil de salário pagará neste ano R$ 114,97 por mês ao imposto. Já em 2015, o imposto a recolher cairá para R$ 99,89. "Se a tabela estivesse em dia, esse mesmo contribuinte estaria isento", considerou o presidente do Sindifisco Nacional, Cláudio Damasceno.

Na opinião de Damasceno, se o IRPF fosse corrigido pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), em 2015, só pagariam o imposto os contribuintes que ganhassem mais que R$ 3.112,65 – atualmente, salários acima de R$ 1.868,22 já descontam na fonte.

"Imagine que a isenção, já neste ano, beirasse os R$ 3 mil. Veja a quantidade de gente que deveria estar isenta", disse Damasceno. Entre 1996 e 2010, a defasagem acumulada é de 54,2%. Desde 2007 vem sendo reajustada em 4,5%, mas só em 2007 e em 2009 o índice oficial de inflação ficou abaixo desse percentual.

"O grande problema é que o governo, na hora de corrigir a contribuição do trabalhador, leva em conta a meta de inflação. Mas na hora de combater o avanço dos preços, não é bem assim", finalizou.


____________________
Reprodução de:
InfoMoney