Translate

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Brasil assegura que Mercosul avança rumo a um acordo com a UE

Brasília, 29 abr (EFE).- O ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil, Mauro Borges, disse nesta terça-feira que o Mercosul "avança rumo a um acordo com a União Europeia (UE)", que considerou "estratégico" para a economia de seu país e do bloco sul-americano.

"O Brasil está preparado para apresentar sua oferta à UE junto ao Mercosul", o que está previsto para o final de maio ou para junho, afirmou o ministro em um seminário realizado nesta terça-feira na Comissão de Finanças da Câmara dos Deputados.

Borges ratificou que a oferta que o Mercosul prepara abrangerá cerca de 90% do universo comercial e se pronunciou a favor que o bloco estabeleça acordos similares com outras regiões e países.

"Seria ideal ter uma zona de livre-comércio em toda América do Sul, ou um acordo comercial amplo com o México, que vá além do setor automotivo", declarou o ministro, que, no entanto, assegurou que esse tipo de convênio "não pode ser somente para aumentar o superávit comercial dos outros".

Borges também considerou "importante" melhorar as relações comerciais do Brasil com a China e Estados Unidos, seus principais parceiros no mundo, e ampliar os horizontes na África, continente no qual o país tem cada vez mais presença.

"Temos que dar um salto na integração comercial com o mundo" e favorecer "um novo ciclo de expansão", para "situar o Brasil entre as grandes cadeias de produção do mundo", afirmou.

O otimismo de Borges em relação a um possível acordo entre o Mercosul e a UE coincide com o manifestado nas últimas semanas por autoridades de outros países do bloco sul-americano.

O vice-ministro de Relações Exteriores do Uruguai, Luis Porto, declarou nesta semana que o processo para um acordo avançou nos últimos meses como não tinha feito "em muitos anos", embora tenha admitido que se trata de uma negociação "trabalhosa" e "difícil".

Porto assegurou que atualmente existe um "moderado" otimismo, mas é "bem maior do que há dois meses".
Técnicos da Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai têm prevista uma nova reunião, que será realizada em Montevidéu para terminar de montar a oferta que apresentarão à UE.

A Venezuela, que exerce a presidência rotativa do Mercosul desde meados do ano passado, não participa da negociação com o bloco comunitário europeu. EFE


_____________________
Reprodução de:
EFE