Translate

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Schumacher foi submetido a uma nova cirúrgia

Schumacher apresenta uma ligeira melhora

 O piloto alemão de Fórmula 1 Michael Schumacher foi submetido a uma segunda operação cerebral na noite do último dia 30 de dezembro e apresenta uma "ligeira melhora em seu quadro clínico", informaram hoje os médicos do hospital de Grenoble (sudeste da França) onde está hospitalizado já há três dias.

 

A situação está mais controlada do que ontem", declarou o doutor Jean-François Payen em uma coletiva à imprensa.

 Após um novo exame e constatar uma "ligeira melhora", os médicos propuseram à família do desportista uma nova intervenção cirúrgica, que se realizou durante a noite e durou cerca de duas horas.

Durante essa operação, foi possível remover "sem riscos" um hematoma situado na área esquerda do cérebro e foi instalado um dispositivo para diminuir a pressão dentro do crânio, explicaram.

Em um novo exame esta manhã, Schumacher apresentou uma "ligeira melhora" e se mostrou "relativamente estável", ainda que "haja muitas hemorragias cerebrais", informou o chefe do serviço de neurocirurgia do  hospital de Grenoble, Emanuel Gay.

"As próximas horas são cruciais", afirmaram os especialistas que atendem ao piloto Schumacher, que permanece em coma induzido e em estado "crítico" e "frágil".
O sete vezes campeão da Fórmula 1, que na próxima sexta-feira completará 45 anos, se encontra nesse estado desde o último domingo, quando sofreu um trauma severo na cabeça enquanto esquiava nos Alpes franceses.

"Temos ganhado um pouco de tempo em sua evolução", acrescentaram os médicos do hospital de Grenoble, que insistiram em que não podem prever a evolução do paciente e ressaltaram que ainda há "um longo caminho a percorrer."
                                                                                         
Médicos falam da situação de Schumacher - Robert Pratta/Reuters
Mesmo assim, os médicos disseram que transferir Schumacher para outro hospital seria muito perigoso e afirmaram que o tratamento dispensado ao piloto é o mesmo que recebem os demais pacientes desse hospital.

Sua esposa, Corinna; bem como seus filhos, Gina María, de 16 anos, e Mick, de 14, e seu irmão, o também ex-piloto Ralf, o acompanham no hospital. Juntos a eles está um médico alemão e o cirurgião frânces Gérard Saillant, amigo pessoal de Schumacher.

"Não se pode dizer que está ganho. altos e baixos. Hoje é um pouco melhor do que ontem e melhor do que domingo", resumiu Saillant.
"Estamos um pouco menos preocupado do que ontem, mas pode mudar de um dia para o outro", acrescentou.

                                                                                                                     Foto:  Robert Pratta/Reuters

Os médicos disseram que voltarão a falar sobre o estado de saúde de Schumacher só se se houver evoluções consideráveis.
Schumacher bateu contra una rocha quando esquiava no domingo passado às 11.00 horas na estação alpina de Méribel, onde possui uma residência.

A gravidade do golpe fez com que a caixa de transporte que levava se dividisse em duas. Após ter recebido os primeiros socorros foi transferido para o hospital mais próximo em Moutiers.

Inicialmente, a estação disse que o acidente não era grave, porém o estado de saúde do alemão começou a piorar, duas horas depois do acidente, teve que ser trasladado de helicóptero ao hospital de Grenoble, por ter mais condições para tratá-lo.

Schumacher chegou em coma ao hospital e foi submetido a uma primeira cirurgia neurológica de urgência. Para facilitar a recuperação cerebral, foi mantido em coma induzido durante a operação estado em que permanece.


Fonte: Semana
Tradução: Jorge Firmino